quarta-feira, 6 de julho de 2016

Rua José Adevir Milioli completa 25 anos

A lei que deu nome a Rua 473, e que passou a se chamar José Adevir Milioli completa 25 anos hoje. A lei número 2.559, é de autoria do vereador Lourival Lopes, e sancionada pelo prefeito Altair Guidi.
A rua tem um dos poucos trechos de estrada de chão do Bairro Jardim Angélica, entre as Ruas Fernando Zanata e Rosita Danovith Finster.

José Adevir Milioli (1951-1984) foi diretor administrativo da carbonífera Criciúma e foi casado com Maria Eliete Mazzucco, com quem teve os filhos Everton e Elizabete.


quinta-feira, 30 de junho de 2016

Três ruas do bairro Jardim Angélica completam 35 anos

As Ruas Palmerinhas, Osvaldo Rocha e Arno Amboni completam 35 anos hoje. As leis que denominam estas três vias foram aprovadas em 1981, quando o prefeito era Altair Guidi. O autor da Lei da Rua Palmerinhas é o vereador Antônio Guglielmi. Já a lei que denomina as Ruas Osvaldo Rocha e Arno Amboni é o próprio prefeito Altair Guidi, ambas no mesmo documento, junto de mais outras 11 ruas.
Na época da aprovação das leis, as ruas pertenciam ao bairro Pinheirinho. A rua Palmerinhas é uma homenagem a Associação, que tem sede na mesma rua. Osvaldo Rocha (1931-1975), segundo livro “Estas Ruas que Pisamos” de Archimedes Naspolini Filho, foi diretor comercial da Admol e membro da Associação Comercial, natural de Araranguá, foi casado com Ana Irma de Luca, com quem teve a filha Ana Maria.
Arno Amboni (1904-1978) era natural do Nova Veneza e foi concessor geral das águas do rio Mãe Luzia e presidente da Cooperativa Agrícola de São Bento Baixo.

Curiosidades: A rua Palmerinhas aparece com erro de grafia, na lei que denomina Rua Orlando Amaral. Ela aparece um i (Palmeirinhas), diferente da lei original que denomina a rua Palmerinhas. 

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Otto Leopoldo Tiefense completa 35 anos

Há poucos dias o blog tratou dos 28 anos do Jardim Angélica. Ou da lei que dá nome ao bairro. Hoje a Lei que dá nome a Rua Otto Leopoldo Tiefense completa 35 anos. Algumas ruas tem Leis aprovadas anteriores a lei que deu nome ao bairro bairro.
É o caso das ruas Professor Nicolau Destri Napoleão, de 1980; Otto Leopoldo Tiefensee, Palmeirinhas, Osvaldo Rocha, Arno Amboni, Quintino Burigo, todos aprovadas em 1981; e a Rosita Danovith Finster, aprovado em 1984.

Otto Leopoldo

Há 35 anos, a Rua 339, onde morou Angélica Benedet Gaidzinski, que da nome ao bairro, ganhava um nome: Otto Leopoldo Tiefense. A Lei número 1654, foi aprovada na Câmara de Vereadores de Criciúma em 18 de maio de 1981, na época, ainda segundo o documento, bairro Pinheirinho. O vereador autor da lei na época era Antonio Guglielmi, e o prefeito que sancionou a lei era Altair Guidi.
Segundo o livro "Estas Ruas que Pisamos" de Archimedes Naspolini Filho, Otto Leopoldo Tiefense foi bancário, gerente do Banco Nascional do Comércio S.A. e faleceu um ano antes da homenagem (1913-1980).



sexta-feira, 15 de abril de 2016

Jardim Angélica completa 28 anos


Hoje, dia 15 de abril, a Lei Nº 2.278 que deu oficialmente o nome ao Bairro Jardim Angélica completa 28 anos de aprovação na câmara de vereadores de Criciúma. A Lei foi de autoria do então vereador José Argente e foi sancionado pelo prefeito José Augusto Hülse.

Mais da história do Bairro?

Leia Quem é Angélica?


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

No portal SATC: Moradores do Jardim Angélica discutem questões de segurança


Os moradores do bairro Jardim Angélica devem aderir ao projeto Rede de Vizinhos Protegidos, desenvolvido pelo 9º Batalhão de Polícia Militar de Criciúma. A notícia está no portal SATC, e na noite desta terça-feira (19) a proposta foi apresentada à comunidade.


Aproximadamente 70 pessoas participaram do encontro realizado no salão da igreja do bairro, onde ficou definido que será feitas pequenas reuniões divididas conforme as seis ruas da comunidade.



quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Segurança pública em pauta no Jardim Angélica

Como acontece todos os anos neste períodos de férias, casas no Jardim Angélica foram alvos de ladrões. Os moradores aproveitam as festas de final de ano para viajar, ir a praia e ladrões invadem as casas e levam televisores, roupas, aparelhos eletrônicos e tudo que encontrarem de maior valor. O tema foi pauta no Jornal do Almoço de hoje (veja vídeo clicando aqui) e fez com que os moradores, que já interagem um Grupo no facebook (criado em 2012) criassem um grupo de Whatsapp, para tratar do tema.
Outra providencia tomada foi organização de uma reunião, que segundo o presidente da associação de moradores do Bairro, Décio Escobar Ladislau, acontecerá na próxima terça-feira, dia (19/01), às 19horas no salão da Igreja para tratar com a Policia Militar da implantação do projeto vizinhança segura.